Total de visualizações de página

30 junho 2006

Diante da Calúnia - Irmão Jeremias


Diante da calúnia devemos silenciar e orar.

Relembrar os ensinamentos de Jesus aplicando-os em cada situação de provação. Ele nos ensina a rogar pelos que nos perseguem , orar pelos enfermos do corpo e da alma.

Analisando através da psicologia , o caluniador tem um imenso sentimento de inferioridade e como não consegue praticar atos compatíveis com o esclarecimento e desenvoltura que muitas vezes o outro ser realiza, ele sente-se frustado, invadido por sentimentos densos e entrega-se ao mal, proferindo o mal contra a sua vítima.

Bem sabemos na verdade que o mal deve ser pago com o bem.

Se as obras no bem são verdadeiras, elas não desmoronarão com a primeira tempestade.

Porém, o caluniador sofrerá mais cedo ou mais tarde por suas atitudes impensadas, direcionadas ao mal.

O caluniador põe muitas vezes um inocente na cadeia, afirmando

palavras ou situações mentirosas.

Acarreta separações entre famílias.

Desmorona uniões sedimentadas.

Faz pessoas honradas perderem o seu emprego.

Desmoraliza publicamente um inocente trabalhador.

Humilha, denigre, acreditando nunca ser descoberto.

Mas Deus na sua infinita bondade e justiça criou leis sábias que regem o universo.

Leis estas que agem constantemente independendo da vontade dos seres humanos.

São leis supremas, onde cada um colhe o que semeia.

Por isso nada perde aquele que trabalha constantemente no bem.

Elevar sempre o pensamento, orar e praticar o auxílio ao próximo é defender-se de cair em erros.

Mesmo quando a consciência está tranqüila deve-se exaltar o bem sobre todas as coisas.

As obras concretizadas no bem maior é que distinguem cada ser.

Exemplificar o amor incondicional sem esperar por recompensas é continuar semeando mesmo entre os pedregulhos a semente da renovação...

Muita paz....

Pelo Espírito: Irmão Jeremias - (Mensagem Psicografada em 12.05.2003)

29 junho 2006

Concentração Mental - André Luiz


Amigos, muito se fala em concentração mental.

Círculos de fé concentram-se em apelos intempestivos ao Cristo.

Concentram-se companheiros de ideal com impecável silêncio exterior, sustentando inadequado alarido interno.

No entanto, é forçoso indagar de nós mesmos que recursos estaremos reunindo.

Simplesmente palavras ou simplesmente súplicas?

Sabemos que o justo requerimento deve apoiar-se no direito justo.

Situando a cabeça entre as mãos, é imprescindível não esquecer que nos cabe centralizar em semelhante atitude os resultados de nossa vida cotidiana, os pequeninos prêmios adquiridos na regeneração de nós mesmos e as vibrações que estamos espalhando ao longo de nosso caminho.

É por isso que oferecemos, despretensiosamente, aos companheiros, alguns lembretes, que consideramos de importância na garantia de nossa concentração espiritual.

1º - Não olvide, fora do santuário de sua fé, o concurso respeitável que compete a você dentro dele.

2º - Preserve seus ouvidos contra as tubas de calúnia ou da maledicência, sabendo que você deve escutar para a construção do bem.

3º - Não empreste seu verbo a palavras indignas, a fim de que as sugestões da Esfera Superior lhe encontrem a boca limpa.

4º - Não ceda seu olhos à fixação das faltas alheias, entendendo que você foi chamado a ver para auxiliar.

5º - Cumpra o seu dever de cada dia, por mais desagradável ou constrangedor lhe pareça, reconhecendo que a educação não surge sem disciplina.

6º - Aprenda a encontrar tempo para conviver com os bons livros, melhorando os próprios conhecimentos.

7º - Não se entregue à cólera ou ao desânimo, à leviandade ou aos desejos infelizes, para que a sua alma não se converta numa nota desafinada no conjunto harmonioso da oração.

8º - Caminhe no clima do otimismo e da boa vontade para com todos.

9º - Não dependure sua imaginação no cinzento cabide da queixa e nem mentalize o mal de ninguém.

10º - Cultive o auxílio constante e desinteressado aos outros, porque, no esquecimento do próprio "eu", você poderá então concentrar as suas energias mentais na prece, de vez que, desse modo, o seu pensamento erguer-se-á, vitorioso, para servir em nome de Deus.

Do livro "Instruções Psicofônicas" - Psicografada por Francisco Cândido Xavier

28 junho 2006

Influênciações Espirituais Sutis - Emmanuel e André Luiz

INFLUENCIAÇÕES ESPIRITUAIS SUTIS

Sempre que você experimente um estado de espírito tendente ao derrotismo, perdurado há várias horas, sem causa orgânica ou moral de destaque, avente a hipótese de uma influenciação espiritual sutil.
Seja claro consigo para auxiliar os Mentores Espirituais a socorrer você. Essa é a verdadeira ocasião de humildade, da prece, do passe.
Dentre os fatores que mais revelam essa condição da alma, incluem-se:

  • dificuldade de concentrar idéias em motivos otimistas;
  • ausência de ambiente íntimo para elevar sentimentos em oração ou concentrar-se em leitura edificante;
  • indisposição inexplicável, tristeza sem razão aparente e pressentimentos de desastres imediatos;
  • aborrecimentos imanifestos por não encontrar semelhantes ou assuntos sobre quem ou o que descarregá-los;
  • pessimismos sub-reptícios, irritações surdas, queixas, exageros de sensibilidade e aptidão a condenar quem não tem culpa;
  • interpretação forçada de fatos e atitudes suas ou dos outros, que você sabe não corresponder à realidade;
  • hiperemotividade ou depressão raiando na iminência de pranto;
  • ânsia de investir-se no papel de vítima ou de tomar uma posição absurda de automartírio;
  • teimosia em não aceitar, para você mesmo, que haja influenciação espiritual para consigo, mas passados minutos ou horas do acontecimento, vêm-lhe a mudança de impulsos, o arrependimento, a recomposição do tom mental e, não raro, a constatação de que é tarde para desfazer o erro consumado.
São sempre acompanhamentos discretos e eventuais por parte do desencarnado e imperceptíveis ao encarnado pela finura do processo.
O Espírito pode estar tão inconsciente de seus atos que os efeitos negativos se fazem sentir como se fossem desenvolvidos pela própria pessoa.
Quando o influenciador é consciente, a ocorrência é preparada com antecedência e meticulosidade, às vezes, dias e semanas antes do sorrateiro assalto, marcado para a oportunidade de encontro em perspectiva, conversação, recebimento de carta clímax de negócio ou crise imprevista de serviço.
Não se sabe o que tem causado maior dano à Humanidade: se as obsessões espetaculares, individuais e coletivas, que todos percebem e ajudam a desfazer ou isolar, ou se essas meio-obsessões de quase obsidiados, despercebidas, contudo bem mais frequentes, que minam as energias de uma só criatura incauta, mas influenciando o roteiro de legiões de outras.
Quantas desavenças, separações e fracassos não surgem assim?
Estude em sua existência se nessa última quinzena você não esteve em alguma circunstância com características de influenciação espiritual sutil. Estude e ajude a você mesmo.

Ditado por Emmanuel/André Luiz Extraído da Obra "ESTUDE E VIVA" Psicografado por Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira-ed.FEB

27 junho 2006

As Cartas do Cristo - Emmanuel

Jesus gravou seus ensinamentos nos corações que o rodeavam e até hoje os aprendizes que se lhe conservam fiéis são as suas cartas divinas dirigidas à Humanidade

“Porque já é manifesto que sois a carta do Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito de Deus Vivo”, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração." Paulo. (II Coríntios, 3:3.).


É singular que o Mestre não haja legado ao mundo um compêndio de princípios escritos pelas próprias mãos.

As figuras notáveis da Terra sempre assinalam sua passagem no planeta, endereçando à posteridade a sua mensagem de sabedoria e amor, seja em tábuas de pedra, seja em documentos envelhecidos.

Com Jesus, porém, o processo não foi o mesmo. O Mestre como que fez questão de escrever sua doutrina aos homens, gravando-a no coração dos companheiros sinceros. Seu testamento espiritual constitui-se de ensinos aos discípulos e não foram grafados por ele mesmo.

Recursos humanos seriam insuficientes para revelar a riqueza eterna de sua Mensagem. As letras e raciocínios, propriamente humanos, na maioria das vezes costumam dar margem a controvérsias. Em vista disso, Jesus gravou seus ensinamentos nos corações que o rodeavam e até hoje os aprendizes que se lhe conservam fiéis são as suas cartas divinas dirigidas à Humanidade. Esses documentos vivos do santificante amor do Cristo palpitam em todas as religiões e em todos os climas. São os vanguardeiros que conhecem a vida superior, experimentam o sublime contato do Mestre e transformam-se em sua mensagem para os homens.

Podem surgir muitas contendas em torno das páginas mais célebres e formosas. Todavia, perante a alma que se converteu em carta viva do Senhor, quando não haja vibrações superiores da compreensão, haverá sempre o divino silêncio.

Do livro "Caminho Verdade e Vida". Psicografia de Francisco Cândido Xavier

26 junho 2006

Filhos Diferentes - Emmanuel


Sem que o verbo humano consiga expressar as sensações de teu amor ou de tua dor, ante um filho diferente, sabes, no imo da alma, que ele significa o mais alto encontro marcado entre a tua presença e a bondade de Deus.


Provavelmente, conhecê-lo-ás no mais íntimo da alma: os filhos diferentes. Conseguistes instruir os outros. Encaminhá-los para o bem com facilidade. Mas encontrastes aquele que não se afina com os teus ideais. É um filho que não se erige à altura do padrão doméstico a que te elevastes, ou uma filha que te desmente a esperança.

Quando te observes perante um filho diferente, não te permitas inclinar o coração ao desespero ou à amargura. Ora e pede luz para o entendimento.

O Senhor te fará reconhecer-te à frente do companheiro ou da companheira de outras existências terrestres, que o tempo ocultou e que a Lei te oferece de novo à presença para que a tua obra de amor seja devidamente complementada.

Auxilia-os sempre e, mesmo nos dias em que a saraivada de críticas humanas te assedie a cabeça, conchega-os mais brandamente ao regaço de teu espírito; sem que o verbo humano consiga expressar as sensações de teu amor ou de tua dor, ante um filho diferente, sabes, no imo da alma, que ele significa o mais alto encontro marcado entre a tua presença e a bondade de Deus.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Encontro Marcado.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
2a edição. Rio de Janeiro, RJ: FEB.

24 junho 2006

Calma - André Luiz

  • Se você está no ponto de estourar mentalmente, silencie alguns instantes para pensar.
  • Se o motivo é moléstia no próprio corpo, a intranqüilidade traz o pior.
  • Se a razão é enfermidade em pessoa querida, o seu desajuste é fator agravante.
  • Se você sofreu prejuízos materiais, a reclamação é bomba atrasada, lançando caso novo.
  • Se perdeu alguma afeição, a queixa tornará você uma pessoa menos simpática, junto de outros amigos.
  • Se deixou alguma oportunidade valiosa para trás, a inquietação é desperdício de tempo.
  • Se contrariedades aparecem, o ato de esbravejar afastará de você o concurso espontâneo.
  • Se você praticou um erro, o desespero é porta aberta a faltas maiores.
  • Se você não atingiu o que desejava, a impaciência fará mais larga a distância entre você e o objetivo a alcançar.
  • Seja qual for a dificuldade, conserve a calma, trabalhando, porque, em todo problema, a serenidade é o teto da alma, pedindo o serviço por solução.

22 junho 2006

Casa do Caminho - Martins Fontes

José Martins Fontes
C aminheiros devotados

A ndarilhos abnegados

S abedores da Bondade

A migos de um trabalho


D evotados companheiros

O breiros de Jesus


C aminhemos sempre à frente

A vante para a luz

M andaremos nosso recado

I ntuitivamente a cada um,

N ão havendo preconceito algum, e,

H averá o momento certo de

O ntem, hoje e amanhã e o segredo será descoberto com amor, paciência e sabedoria entre todos os irmãos.

Martins Fontes

Psicografia de Jussara de C. S. Faria, recebida no
Grupo Espírita Casa do Caminho de S.Vicente em 26/03/96

Homenagem a José Martins Fontes - Mentor Espiritual da Corrente Médica


Aniversariante do Mês

José Martins Fontes, poeta brasileiro, nasceu em Santos (SP), no dia 23 de junho de 1884. Formou-se em medicina no Rio de Janeiro (RJ), em 1906. Durante o curso, colaborou nos jornais "Gazeta de Notícias", "O País", nas revistas "Careta" e "Kosmos" e em outros periódicos. Em 1910 foi auxiliar de Oswaldo Cruz na campanha de saneamento do Rio de Janeiro, além de chefe da Assistência Escolar da Prefeitura. Trabalhou na Santa Casa de Misericórdia de Santos, onde se especializou em doenças do pulmão, com ênfase no tratamento da tuberculose. Mudou-se para Paris (França) em 1914, e lá fundou, com Olavo Bilac, uma Agência Americana para serviços de propaganda dos produtos brasileiros na Europa e em outros países. A partir de 1924 tornou-se correspondente da Academia das Ciências de Lisboa. É o patrono da cadeira nº 26 da Academia Paulista de Letras.

O escritor faleceu em Santos no dia 25 de junho de 1937.

Pondera

Não chores entes queridos,
Que partem, p'ra outra jornada;
O vento, também, caminha,
O horizonte, é sua estrada!

Os males que te fizerem,
Perdoa-os, sem pesar;
Às vezes, o mal, ajuda.
O bem se edificar.

O perdão é timoneiro,
Que singra o mar da esperança;
Levanta velas, primeiro,
Confiante na bonança.

Encargos de direção,
São presentes simulados;
É linda Rosa, que esconde,
Mil espinhos disfarçados.

Martins Fontes

Mensagem psicografada na Seara Espírita "Paz e Amor", em 21 de Agosto de 1978 - S.Vicente SP
Livro: Rosas e Espinhos - Psicografado por Hodulia Rodrigues da Silva (In Memorian)

Cobrando Débito Antigo - Cornélio Pires


Noras cruéis, genros brutos,
Pai tirânico e violento,
São contas do crediário
Resgatado a sofrimento...

Rusgas, brigas e desgostos
Espinheirais do passado,
Pagamento a prestações
De culpas por atacado...

Nossos erros de outras eras,
Ódio, inveja, tentação,
Retornam pela família
Na lei da reencarnação.

Quem amou, quem deu de si,
Sobe de altura e lugar,
Quem fez sofrer vem sofrer,
Quem bateu vem apanhar.

Quem dos outros fez capacho,
Cria resgate severo,
Quem foge ao próprio dever
Vem de novo á estaca zero.

Parentela é escola santa
Sempre que a vemos daqui,
Cada qual encontra em casa
Aquilo que fez de si.

Ame, perdoe, sirva e ajude
Quanto ao mais, meu caro irmão
Se você sofre em família,
Não reclame, agüente, João.

Livro: “Recados da Vida”. Ditado pelo Espírito Cornélio Pires
Psicografia de Francisco Cândido Xavier

21 junho 2006

Perdoar aos Amigos - Emmanuel

Afirmação aparentemente contraditória, mas de justo sentido: "Perdoar aos amigos". Advertência afetuosa para todos os dias.

Reflete nisso e não estragues o tempo com suscetibilidades inúteis.

Do adversário, é possível venham ofensas que nos impõem a prática da tolerância, considerando-se que os inimigos, em muitas ocasiões, são nossos credores, que nos ensinam a raciocinar e a discernir.

Dos amigos, porém, temos as lições constantes da convivência, na escola do cotidiano.

São os testes da comunhão afetiva que nos oferecem oportunidades à conquista do entendimento e do amor.

Valoriza os companheiros que te apóiam e não lhes desmereça a dedicação por bagatelas.

Não te queixes da omissão de teu nome na relação de convidados para uma festa; não exijas dos teus associados de ideal considerações pessoais claramente dispensáveis; não te melindres com alguma frase menos feliz a teu respeito e nem percas tempo com apontamentos que a malícia te assopre aos ouvidos.

Honra sempre os amigos que te incentivem para o trabalho do bem e abençoa-lhes a presença no caminho que a vida te deu a percorrer.

Diz a Escritura: "aquele que encontrou um amigo achou um tesouro"e, por isso mesmo, entre as mutações e perturbações do mundo, é preciso saibamos conservá-lo.

Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

20 junho 2006

Amigo Ingrato - Joanna de Ângelis

  • Causa-te surpresa o fato de ser o teu acusador de agora, o amigo aturdido de ontem, que um dia pediu-te abrigo ao coração gentil e ora não te concede ensejo, sequer, para esclarecimentos.
  • Despertas, espantado, ante a relação de impiedosas queixas que guardava de ti, ele que recebeu, dos teus lábios e da tua paciência, as excelentes lições de bondade e de sabedoria, com as quais cresceu emocional e culturalmente.
  • Percebes, acabrunhado, que as tuas palavras foram, pelo teu amigo, transformadas em relhos com os quais, neste momento, te rasga as carnes da alma, ele, que sempre se refugiou no teu conforto moral.
  • Reprocha-te a conduta, o companheiro que recebeste com carinho, sustentando-lhe a fragilidade e contornando as suas reações de temperamento agressivo.
  • Tornou-se, de um para outro momento, dono da verdade e chama-te mentiroso.
  • Ofereceste-lhe licor estimulante e recebes vinagre de volta.
  • Doaste-lhe coragem para a luta, e retribui-te com o desânimo para que fracasses.
  • Ele pretende as estrelas e empurra-te para o pântano.
  • Repleta-se de amor e descarrega bílis na tua memória, ameaçando-te sem palavras.
  • Não te desalentes!
  • O mundo é impermanente.
  • O afeto de hoje torna-se o adversário de amanhã.
  • As mãos que perfumas e beijas, serão, talvez, as que te esbofetearão, carregadas de urze.
  • Há mais crucificadores do que solidários na via de redenção.
  • Esquecem-se, os homens, do bem recebido, transformando-se em cobradores cruéis, sem possuírem qualquer crédito.
  • Talvez o teu amigo te inveje a paz, a irrestrita confiança em Deus, e, por isto, quer perturbar-te.
  • Persevera, tranqüilo!
  • Ele e isto, esta provação, passarão logo, menos o que és, o que faças.
  • Se erraste, e ele te azorraga, alegra-te, e resgata o teu equívoco.
  • Se estás inocente, credita-lhe as tuas dores atuais, que te aprimoram e te aproximam de Deus.
  • Não lhe guardes rancor.
  • Recorda que foi um amigo, quem traiu e acusou Jesus; outro amigo negou-O, três vezes consecutivas, e os demais amigos fugiram dEle.
Quase todos O abandonaram e O censuraram, tributando-Lhe a responsabilidade pelo medo e pelas dores que passaram a experimentar. Todavia, Ele não os censurou, não os abandonou e voltou a buscá-los, inspirá-los e conduzi-los de volta ao reino de Deus, por amá-los em demasia.

Assim, não te permitas afligir, nem perturbar pelas acusações do teu amigo, que está enfermo e não sabe, porque a ingratidão, a impiedade e a indiferença são psicopatologias muito graves no organismo social e humano da Terra dos nossos dias.

Livro: Momentos de Felicidade - Joanna de Ângelis - Psicografia de Divaldo Pereira Franco

19 junho 2006

Esquecimento do Passado - Bezerra de Menezes

  • Filhos, o esquecimento do passado, nas experiências infelizes que vivenciastes, é que vos torna viável o progresso espiritual.
  • Quem não olvidasse o mal de que tenha sido vítima ou verdugo, estacionaria indefinidamente na revolta e no ódio, na amargura e na falta de indulgência.
  • A amnésia temporária, com relação ao que fostes e ao que fizestes no passado, de certa forma vos enseja o crescimento íntimo num tempo relativamente mais curto do que levaríeis para concretizá-lo, caso tivésseis que conviver com as lembranças negativas que a Lei vos manda esquecer.
  • Assim sendo, não vasculheis os arquivos da mente, com o propósito de trazer ao presente o que deve permanecer sepultado no pretérito. Preocupai-vos com a construção do futuro, estudando as características de vossa personalidade, para melhor avaliação do caminho percorrido, valendo-vos tão somente das tendências e dos hábitos que relevais em vossa existência de agora.
  • Em contato com os outros, notadamente com aqueles de vossa convivência mais estreita, os vossos reais valores vêm à tona, possibilitando-vos a identificação clara dos pontos vulneráveis da personalidade, sobre as quais devereis concentrar os vossos esforços de corrigenda.
  • Os companheiros com os quais vos compromissastes mais seriamente acionam em vós os mecanismos psicológicos a fornecer-vos exata noção dos vossos desacertos de antanho, sem que, para tanto, tenhais necessidade de provocar o despertar de vossas reminiscências.
  • Na vivência espírita do Evangelho, a chamada terapia de vidas passadas acontece naturalmente, sem que se vos torne indispensável a revelação, em detalhes, do que vos precipitou a queda.
  • Quando um quadro infeccioso se instala no corpo, o médico não espera que se lhe detecte o órgão de origem, para combatê-lo através da prescrição de antibióticos.
  • A prática cotidiana do Bem se vos assemelha, para a consciência enferma, a antibiótico de última geração e de largo espectro que, embora sem correto diagnóstico do vosso quadro clínico, combate com eficiência a causa de vossos males.

18 junho 2006

A Amizade - Joanna de Ângelis


A amizade é o sentimento que imanta as almas unas às outras, gerando alegria e bem-estar.
A amizade é suave expressão do ser humano que necessita intercambiar as forças da emoção sob os estímulos do entendimento fraternal.
Inspiradora de coragem e de abnegação. a amizade enfloresce as almas, abençoando-as com resistências para as lutas.
Há, no mundo moderno, muita falta de amizade!
O egoísmo afasta as pessoas e as isola.
A amizade as aproxima e irmana.
O medo agride as almas e infelicita.
A amizade apazigua e alegra os indivíduos.
A desconfiança desarmoniza as vidas e a amizade equilibra as mentes, dulcificando os corações.
Na área dos amores de profundidade, a presença da amizade é fundamental.
Ela nasce de uma expressão de simpatia, e firma-se com as raízes do afeto seguro, fincadas nas terras da alma.
Quando outras emoções se estiolam no vaivém dos choques, a amizade perdura, companheira devotada dos homens que se estimam.
Se a amizade fugisse da Terra, a vida espiritual dos seres se esfacelaria.
Ela é meiga e paciente, vigilante e ativa.
Discreta, apaga-se, para que brilhe aquele a quem se afeiçoa.
Sustenta na fraqueza e liberta nos momentos de dor.
A amizade é fácil de ser vitalizada.
Cultivá-la, constitui um dever de todo aquele que pensa e aspira, porquanto, ninguém logra êxito, se avança com aridez na alam ou indiferente ao elevo da sua fluidez.
Quando os impulsos sexuais do amor, nos nubentes, passam, a amizade fica.
Quando a desilusão apaga o fogo dos desejos nos grandes romances, se existe amizade, não se rompem os liames da união.
A amizade de Jesus pelos discípulos e pelas multidões dá-nos, até hoje, a dimensão do que é o amor na sua essência mais pura, demonstrando que ela é o passo inicial para essa conquista superior que é meta de todas as vidas e mandamento maior da Lei Divina.

17 junho 2006

A Grandeza da Amizade - Autores Diversos


Você já pensou na grandeza da amizade?

Diz um grande pensador que quem encontra um tesouro valioso.

A amizade verdadeira é sustentáculo para muitas almas que vivem sobre a face da Terra. Ela está presente nos lares e fora deles, na convivência diária das criaturas.

A amizade é tão importante que já foi comparada com muitas coisas de valor.

Um pensador anônimo compara a amizade com as estrelas, e aqueles que não tem amigos ele compara com os cometas, que vem e vão, nem iluminam como as estrelas.

Diz ele mais ou menos assim:

"Há pessoas estrelas e há pessoas cometas. Os cometas passam. Apenas são lembrados pelas datas em que passam e retornam.

As estrelas permanecem. O Sol permanece. Passam-se os anos, milhões de anos, e as estrelas permanecem. Os cometas desaparecem.

Há muita gente como os cometas, que passam pela vida da gente apenas por instantes. Gente que não prende ninguém e a ninguém se prende.

Gente sem amigos. Gente que apenas passa, sem iluminar, sem aquecer, sem marcar presença, assim são as pessoas que vivem na mesma família e que passam um pelo outro sem ser presença.

O importante é ser como as estrelas. Permanecer. Clarear. Estar presente. Ser luz. Ser calor. Ser vida. Ser amigo é ser estrela.

Podem passar os anos, podem surgir as distâncias, mas a marca da amizade fica no coração. Corações que não querem se enamorar de cometas, que apenas atraem os olhares passageiros e passam.

São muitas as pessoas cometas. Passam, recebem as palmas e desaparecem. Ser cometa é ser passageiro apenas por instantes. É explorar os sentimentos humanos.

A solidão de muitas pessoas é conseqüência de não poderem contar com alguém. É resultado de uma vida de cometa. Ninguém fica. Todos passam uns pelos outros.

Há muita necessidade de criar um mundo de pessoas estrelas. Aquelas com as quais todos os dias podemos contar. Todos os dias ver a sua luz e sentir o seu calor.

Assim são os amigos estrelas na vida da gente. Pode-se contar com eles. Eles são presença. São coragem nos momentos de tensão. São luz nos momentos de escuridão. São segurança nos momento de desânimo.

Ser estrela neste mundo passageiro, neste mundo cheio de pessoas cometas , é um desafio, mas acima de tudo uma recompensa.

É nascer e ter vivido, e não apenas existir.

E você? É cometa? Ou é Estrela?"

Enquanto o desejo é chama que se consome e deixa um vazio nas almas, a amizade é benção que alimenta e sustenta em todos os momentos da vida.

Quem compartilha apenas do desejo corre o risco de ficar só, tão logo o desejo cesse, mas quem divide a amizade tem a certeza de que nunca estará sozinho.

É por essa e outras razões que a amizade é sempre comparada às coisas belas de grande valor.

Pode ser comparada a um tesouro...
A uma flor perfumada que jamais fenece...

A uma estrela que aquece e vivifica, ou com a luz que jamais se apaga...

O importante mesmo é ter amigos ou ser amigo de alguém, porque só assim teremos a certeza de que nunca estaremos desamparados.


(Do livro: Momento Espírita Volume I - Editora: Federação Espírita do Paraná)

15 junho 2006

Conselhos Simples - Marcos Prisco

"A revolução que se apresta é antes moral, do que material."
(Alan Kardec, E.S.E., Cap.1 - Item 10.)

Utilize as horas com moderação, realizando cada tarefa por sua vez, sem interrupção.
Trabalho continuado - rendimento vultuoso.

Modifique, sem mais tardança, o conceito negativo a respeito de quem você conheceu num momento infeliz.

A opinião má que se renova contribui para a sementeira da fraternidade.

Antes que os labores diurnos o surpreendam, realize no leito a comunhão com o Senhor, através da meditação.

O homem mantém a comunicação com o Pai Celeste pelos invisíveis fios do pensamento.

Resguarde-se da enfermidade, cultivando a higiene mental.

Mente asseada - corpo equilibrado.

Recolha, em cada dificuldade, a mensagem oculta de advertência para a vida.

Obstáculo vencido - aprendizagem inesquecível.

Acomode-se ao temperamento alheio, vencendo as imposições do instinto, quando a serviço do auxílio.

Quem relaciona dificuldades não dispõe de tempo para ajudar.

Receba o intrujão com delicadeza, expondo-lhe a verdade sem arrogância deliberada.

Todo usurpador se transforma em algoz de si mesmo.

Precavenha-se da agressão do ódio, pelo exercício do amor.

A constância no bem imuniza o homem contra o contágio das misérias morais.

Aceite o sofrimento como fenômeno natural da experiência evolutiva.

A enfibratura moral consolida-se no fragor das batalhas diárias.

Repare a terra submissa e boa, sulcada pelo arado para a dádiva do pão.

Aprenda com ela a lição da humildade e deixe que o Agricultor Compassivo transforme sua vida num seminário de amor para o bem de todos.

(Livro: "Glossário Espírita-Cristão", Psicografia de Divaldo P. Franco - Editora LEAL)

14 junho 2006

Prevenção contra suicídio - Emmanuel


Quando a idéia de suicídio, porventura, te assome à cabeça, reflete, antes de tudo, na Infinita Bondade de Deus, que te instalou na residência planetária, solidamente estruturada, a fim de sustentar-te a segurança no Espaço Cósmico.

Em seguida, ora, pedindo socorro aos Mensageiros da Divina Providência.

Medita no amor e na necessidade daqueles corações que te usufruem a convivência. Ainda que não lhes conheças, de todo, o afeto que te consagram e embora a impossibilidade em que te reconheces para medir quanto vales para cada um deles, é razoável ponderes quantas lesões de ordem mental lhes causarias com a violência praticada contra ti mesmo.

Se a idéia perniciosa continua a torturar-te, mesmo que te sintas doente, refugia-te no trabalho possível, em que te mostres útil aos que te cercam.

Visita um hospital, onde consigas avaliar as vantagens de que dispões, em confronto com o grande número de companheiros portadores de moléstias irreversíveis.

Vai pessoalmente ao encontro de algum instituto beneficente, a que se recolhem irmãos necessitados de apoio total, para os quais alguns momentos de diálogo amigo se transformam em preciosa medicação.

Lembra-te de alguém que saibas em penúria e busca avistar-te com esse alguém, procurando-lhe aliviar a carga de aflição.

Comparece espontaneamente aos contatos com amigos reeducandos que se encontram internados em presídios do seu conhecimento, de maneira a prestares a esse ou aquele algum pequenino favor.

Não desprezes a leitura de alguma página esclarecedora, capaz de renovar-te os pensamentos.

Entrega-te ao serviço do bem ao próximo, qualquer que ele seja e faze empenho em esquecer-te, porque a voluntária destruição de tuas possibilidades físicas, não só representa um ato de desconsideração para com as bênçãos que te enriquecem a vida, como também será o teu recolhimento compulsório à intimidade de ti mesmo, no qual, por tempo indefinível, permanecerás no envolvimento de suas próprias perturbações.

(Página recebida por Francisco C. Xavier – extraído do livro “Pronto Socorro” –ed. CEU)

13 junho 2006

Desculpa Sempre - Emmanuel

"Se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai Celestial vos perdoará." Jesus. (MATEUS, 6:14.)

Por mais graves te pareçam as faltas do próximo, não te detenhas na reprovação.

Condenar é cristalizar as trevas, opondo barreiras ao serviço da luz.

Procura nas vítimas da maldade algum bem com que possas soerguê-las, assim como a vida opera o milagre do reverdecimento nas árvores aparentemente mortas.

Antes de tudo, lembra quão difícil é julgar as decisões de criaturas em experiências que divergem da nossa!

Como refletir, apropriando-nos da consciência alheia e como sentir a realidade, usando um coração que não nos pertence?

Se o mundo, hoje, grita alarmado, em derredor de teus passos, faze silêncio e espera ...

A observação justa é impraticável quando a neblina nos cerca.

Amanhã, quando o equilíbrio for restaurado, conseguirás suficiente clareza para que a sombra te não altere o entendimento.

Além disso, nos problemas de crítica, não te suponhas isento dela.

Através da nociva complacência para contigo mesmo, não percebes quantas vezes te mostras menos simpático aos semelhantes.

Se há quem nos ame as qualidades louváveis, há quem nos destaque as cicatrizes e os defeitos.

Se há quem ajude, exaltando-nos o porvir luminoso, há quem nos perturbe, constrangendo-nos à revisão do passado escuro.

Usa, pois, a bondade, e desculpa incessantemente.

Ensina-nos a Boa Nova que o Amor cobre a multidão dos pecados.

Quem perdoa, esquecendo o mal e avivando o bem, recebe do Pai Celestial, na simpatia e na cooperação do próximo, o alvará da libertação de si mesmo, habilitando-se a sublimes renovações.

Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, contida no Livro "Fonte Viva" - 1956 Questão 135, páginas 303 e 304 edição Federação Espírita Brasileira.

12 junho 2006

Amor Fraternal - Emmanuel

"Permaneça o amor fraternal." - Paulo (Hebreus, 13:1)

As afeições familiares, os laços consangüíneos, as simpatias naturais podem ser manifestações muitos santas da alma, quando a criatura as eleva no altar do sentimento superior, contudo, é razoável que o espírito não venha a cair sob o peso das inclinações próprias.

O equilíbrio é a posição ideal.

Por demasia de cuidado, inúmeros pais prejudicam os filhos.

Por excesso de preocupações, muitos cônjuges descem às cavernas do desespero, defrontados pelos insaciáveis monstros do ciúme que lhes aniquilam a felicidade.

Em razão da invigilância, belas amizades terminam em abismo de sombra.

O apelo evangélico, por isto mesmo, reveste-se de imensa importância.

A fraternidade pura é o mais sublime dos sistemas de relações entre as almas.

O homem que se sente filho de Deus e sincero irmão das criaturas não é vítima dos fantasmas do despeito, da inveja, da ambição, da desconfiança. Os que se amam fraternalmente alegram-se com o júbilo dos companheiros; sentem-se felizes com a ventura que lhes visita os semelhantes.

Afeições violentas, comumente conhecidas na Terra, passam vulcânicas e inúteis.

Na teia das reencarnações, os títulos afetivos modificam-se constantemente. É que o amor fraternal, sublime e puro, representando o objetivo supremo do esforço de compreensão, é a luz imperecível que sobreviverá no caminho eterno.

Da obra: Pão Nosso - Emmanuel - Psicografia de F.C.Xavier

11 junho 2006

O Passe - Emmanuel


"Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e levou as nossas doenças" ─ Mateus, 8, 17.


Meu amigo, o passe é transfusão de energias fisiopsíquicas, operação de boa vontade, dentro da qual o companheiro do bem cede de si mesmo em teu benefício.
Se a moléstia, a tristeza e a amargura são remanescentes de nossas imperfeições, enganos e excessos, importa considerar que, no serviço do passe, as tuas melhoras resultam da troca de elementos vivos e atuantes.
Trazes detritos e aflições e alguém te confere recursos novos e bálsamos reconfortantes.
No clima da prova e do amor, um amigo se converte no instrumento da Infinita Bondade, para que recebas remédio e assistência.
Ajuda o trabalho de socorro a ti mesmo com o esforço da limpeza interna.
Esquece os males que te apoquentam, desculpa as ofensas de criaturas que te não compreendem, foge ao desânimo destrutivo e enche-te de simpatia e entendimento para com todos que te cercam.
O mal é sempre a ignorância e a ignorância reclama perdão e auxílio para que se desfaça, em favor da nossa própria tranqüilidade.
Se pretendes, pois, guardar as vantagens do passe que, em substância, é ato sublime de fraternidade cristã, purifica o sentimento e o raciocínio, o coração e o cérebro.
Ninguém deita alimento indispensável em vaso impuro.
Não abuses, sobretudo, daqueles que te auxiliam.
Não tomes o lugar do verdadeiro necessitado, tão só porque os teus caprichos e melindres pessoais estejam feridos.
O passe exprime também o gasto de forças e não deves provocar o dispêndio de energias do Alto, com infantilidades e ninharias.
Se necessitas de semelhante intervenção, recolhe-te à boa vontade, centraliza a tua expectativa nas fontes celestes do suprimento divino, humilha-te, conservando a receptividade edificante, inflama o teu coração na confiança positiva e, recordando que alguém vai arcar com o peso de tuas aflições, retifica o teu caminho, considerando igualmente o sacrifício incessante de Jesus por nós todos, porque, de conformidade com as letras sagradas, "Ele tomou sobre si nossas enfermidades e levou as nossas doenças."

Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier

10 junho 2006

Mágoa - Joanna de Ângelis


Síndrome alarmante, de desequilibro, a presença da mágoa faculta a fixação de graves enfermidades físicas e psíquicas no organismo de quem a agasalha.

A mágoa pode ser comparada à ferrugem perniciosa que destrói o metal em que se origina.

Normalmente se instala nos redutos do amor-próprio ferido e paulatinamente se desdobra em seguro processo enfermiço, que termina por vitimar o hospedeiro.

De fácil combate, no início, pode ser expulsa mediante a oração singela e nobre, possuindo, todavia, o recurso de, em habitando os tecidos delicados do sentimento, desdobrar-se em modalidades várias, para sorrateiramente apossar-se de todos os departamentos da emotividade, engedrando cânceres morais irreversíveis. Ao seu lado, instala-se, quase sempre, a aversão, que estimulam o ódio, etapa grave do processo destrutivo.

A mágoa, não obstante desgovernar aquele que a vitaliza, emite verdadeiros dardos morbíficos que atingem outras vítimas incautas, aquelas que se fizeram as causadoras conscientes ou não do seu nascimento.

Borra sórdida, entorpece os canais por onde transita a esperança, impedindo-lhe o ministério consolador.

Hábil, disfarça-se, utilizando-se de argumentos bem urdidos para negar-se ao perdão ou fugir ao dever do esquecimento. Muitas distonias orgânicas são o resultado do veneno da mágoa, que, gerando altas cargas tóxicas sobre a maquinaria mental, produz desequilíbrio no mecanismo psíquico com lamentáveis conseqüências nos aparelhos circulatório, digestivo, nervoso...

O homem é, sem dúvida, o que vitaliza pelo pensamento. Sua idéias, suas aspirações constituem o campo vibratório no qual transita e em cujas fontes se nutre.

Estiolando os ideais e espalhando infundadas suspeitas, a mágoa consegue isolar o ressentido, impossibilitando a cooperação dos socorros externos, procedentes de outras pessoas.

Caça implacavelmente esses agentes inferiores, que conspiram contra a tua paz. O teu ofensor merece tua compaixão, nunca o teu revide.

Aquele que te persegue sofre desequilíbrios que ignoras e não é justo que te afundes, com ele, no fosso da sua animosidade.

Seja qual for a dificuldade que te impulsione à mágoa, reage, mediante a renovação de propósitos, não valorizando ofensas nem considerando ofensores.

Através do cultivo de pensamentos salutares, pairarás acima das viciações mentais que agasalham esses miasmas mortíferos que, infelizmente, se alastram pela Terra de hoje, pestilenciais, danosos, aniquiladores.

Incontáveis problemas que culminam em tragédias quotidianas são decorrência da mágoa, que virulenta se firmou, gerando o nefando comércio do sofrimento desnecessário.

Se já registras a modulação da fé raciocinada nos programas da renovação interior, apura aspirações e não te aflijas. Instado às paisagens inferiores, ascendo na direção do bem. Malsinado pela incompreensão, desculpa. Ferido nos melhores brios, perdoa.

Se meditares na transitoriedade do mal e na perenidade do bem, não terás outra opção, além daquela: amar e amar sempre, impedindo que a mágoa estabeleça nas fronteiras da tua vida as balizas da sua província infeliz.

"Quando estiveres orando, se tiverdes alguma coisa contra alguém, perdoai-lhe, para que vosso Pai que está nos Céus, vos perdoe as vossas ofensas". - Marcos: 11-25. "Não sou feliz! A felicidade não foi feita para mim! exclama geralmente o homem em todas as posições sociais. Isto, meus caros filhos, prova melhor do que todos os raciocínios possíveis, a verdade desta máxima do Eclesiastes: "A felicidade não é deste mundo". - Cap.V - Item 20.

Livro: Florações Evangélicas - Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis - Divaldo P.Franco

08 junho 2006

Defenda-se - André Luiz


Não converta seus ouvidos num paiol de boatos.
A intriga é uma víbora que se aninhará em sua alma.

Não transforme seus olhos em óculos da maledicência.
As imagens que você corromper viverão corruptas na tela se sua mente.

Não Faça de suas mãos lanças para lutar sem proveito.
Use-as na sementeira do bem.

Não menospreze sua faculdades criadoras, centralizando-as nos prazeres fáceis.
Você responderá pelo que fizer delas.

Não condene sua imaginação às excitações permanentes.
Suas criações inferiores atormentarão seu mundo íntimo.

Não conduza seus sentimentos à volúpia de sofrer.
Ensine-os a gozar o prazer de servir.

Não procure o caminho do paraíso, indicando aos outros a estrada para o inferno.
A senda para o Céu será construída dentro de você mesmo.

(Mensagem retirada do livro "Agenda Cristã" psicografia de Francisco Cândido Xavier)

07 junho 2006

Bom Dia Especial para Jussara


Jussara

Hoje queremos te desejar um Bom Dia,
para que seu coração siga Alegre
por todas as horas deste dia!

Mais que ninguém, você merece
este Bom Dia, pois vai para a
sua luta diária em busca de
suas realizações.

Desejamos que ao seu redor só encontre
pessoas que tenham palavras boas
e otimistas para lhe oferecer.

Que tudo dê certo no decorrer
das próximas horas...

E quando a noite chegar, que você
possa finalmente descansar sem
temor, mágoas ou dissabores.

Nós desejamos um Bom Dia,
um maravilhoso dia!

E quando anoitecer, nós desejamos que
seu sono seja leve e tranquilo.

Que você possa ter Bons Sonhos
para pensar em novos projetos
e novas realizações.

Tenha um Bom Dia!

Feliz Aniversário Jussara

PARABÉNS JUSSARA

Sua Bondade, sua Generosidade e a Alegria
que você traz dentro do seu coração, faz
de você, uma pessoa Muito Especial.

São tantas coisas maravilhosas que torna-se
muito fácil lembrar de você, principalmente
em ocasiões Especiais como essa!

Que o seu Aniversário seja repleto de
Felicidades, ao lado das pessoas
mais queridas.

E que Deus te conserve sempre assim,
tão Especial e Importante na vida
de tantas pessoas!

Estes votos são dedicados a voce
por todos colaboradores e trabalhadores
da Casa do Caminho

06 junho 2006

Irmãos, Lembremo-nos - Emmanuel

IRMÃOS, LEMBREMO-NOS SEMPRE DE QUE O ESPIRITISMO...

visto, pode ser somente fenômeno;
ouvido, pode ser apenas consolação;
vitorioso, pode ser somente festividade;
estudado, pode ser apenas escola;

discutido, pode ser somente sectarismo;
interpretado, pode ser apenas teoria;
propagado, pode ser somente movimentação;
sistematizado, pode ser apenas filosofia;

observado, pode ser somente ciência;
meditado, pode ser apenas doutrina;
sentido, pode ser somente crença.
Não nos esqueçamos, porém, de que Espiritismo aplicado,
é VIDA ETERNA com Eterna Libertação.

A codificação trouxe ao mundo uma chave generosa,
cuja utilidade se adapta a numerosas portas.
Escolhamos com o Apóstolo, que hoje recordamos, o
caminho da aplicação:

TRABALHO,
SOLIDARIEDADE,
TOLERÂNCIA.

De coração elevado a Jesus, não temos
por agora divisa mais nobre a recordar.
Vivei-a na fé consoladora.
Espiritismo é Sol.

Livro: Doutrina e Aplicação - Emmanuel - Psicografia Chico Xavier

05 junho 2006

Velórios - Joanna de Ângelis

Pintura: Dying de Alex Grey
Diante do corpo de alguém que demandou a Pátria Espiritual, examina o próprio comportamento, a fim de que não te faças pernicioso, nem resvales pelas frivolidades, que nesse instante devem ser esquecidas.

O velório é um ato de fraternidade e de afeição aos recém-desencarnados que, embora continuem vinculados aos despojos, não poucas vezes permanecem em graves perturbações.

Imantados à organização somática, da qual são expulsos pelo impositivo da morte, que o surpreende com o "milagre da vida", não obstante em outra dimensão, desesperam-se, experimentando asfixias e desassossegos de difícil classificação, acompanhando o acontecimento em crescente inquietude.

Raras pessoas estão preparadas para entender o fenômeno da morte, ou possuem suficientes recursos de elevação moral a fim de serem transladadas do local mortuário, de modo a serem certificadas do ocorrido em circuntâncias favoráveis, benignas.

No mais das vezes, atropelam-se com outros desencarnados, interrogam os amigos que lhes vêm trazer o testemunho último aos despojos carnais, caindo quase sempre, em demorado hebetamento ou terrível alucinação...

Em tais circunstâncias, medita a posição que desfrutas nos casos da vida orgânica, considerando a inadiável imposição do teu regresso à Espiritualidade.

Se desejas ajudar o amigo em trânsito, cujo corpo celas, ora por ele.

No silêncio a que te recolhes, evoca os acontecimentos felizes a que ele se encontrava vinculado, os gestos de nobreza que o caracterizaram, as renúncias que se impôs e os sacrifícios a que se submeteu... Recorda-o lutando e renovando-se.

Não o lamentes, arrolando os insucessos que o martirizaram, as aflições em rebeldia que experimentou.

O choro do desespero como as observações malévolas, as imprecações quanto as blasfêmias ferem-nos à semelhança de ácido derramado em chagas abertas.

De forma alguma registres mágoas ou desaires entre ti e ele, os vínculos da ira ou as cicatrizes do ódio ainda remanescentes.

Possivelmente ele te ouvirá as vibrações mentais, sem compreender o que se passa, ou sofrerá a constrição das tuas lembranças que acionarão desconhecidas forças na sua memória que, então, sintonizará contigo, fazendo que as paisagens lembradas o dulcifiquem - se são reminiscências felizes - ou o requeimem interiormente - se são amargas ou cruéis - fomentando estados íntimos que se adicionarão ao que já experimenta.

A frivolidade de muitos homens tem transformado os velórios em lugares de azedas recriminações ao desencarnado, recinto de conversas malsãs, cenáculo de anedotário vinagroso e picante, sala de maledicências insidiosas ou agrupamento para regabofes, onde o respeito, a educação, a consideração à dor alheia, quase sempre batem em retirada...

...E não pode haver uma dor tão grande na Terra, quanto a que experimenta alguém que se despede de outrem, amado, pela desencarnação!

Sem embargo, o desencarnado vive.

Ajuda-o nesse transe grave, que defrontarás também, quando, quiçá, este por quem oras hoje seja as duas mãos da cordialidade que te receberão no além, ao iniciares, por tua vez, a vida nova...

Unge-te, pois, de piedade fraternal nas vigílias mortuárias, e comporta-te da forma como gostarias que procedessem para contigo nas mesmas circunstâncias.

"Deixai que os mortos enterrem os seus mortos." Lucas 9:60 "Vós, espíritas, porém, sabeis que a alma vive melhor quando livre do seu invólucro corporal." E.S.E. cap. V, item 21

Livro: Florações Evangélicas - Psicografia Divaldo Pereira Franco

04 junho 2006

Acende a Luz - André Luiz

Ao longo do caminho em que jornadeias para diante,
encontrarás a treva a cercar-te em todos os flancos.
Trevas da ignorância em forma de incompreensão,
nevoeiros de ódio em forma de desespero,
neblinas de impaciência em forma de lágrimas
e sombras de loucura em forma de tentações sinistras.
*
Acende, porém, a luz da oração e caminha.
A prece é claridade que te auxiliará
a ver a amargura das vítimas do mal,
as feridas dos que te ofendem sem perceber,
as mágoas dos que te perseguem
e a infelicidade dos que te caluniam.
*
Ora e segue, adiante.
O horizonte é sempre mais nobre
e a estrada sempre mais sublime,
desde que a oração permaneça em tua alma
em forma de confiança e de luz.

Livro: “Servidores no Além”

03 junho 2006

Mandato Mediunico - Marcus Alberto De Mario

Quando o Espírito reencarna, traz do mundo espiritual compromissos estabelecidos para o seu progresso, entre eles, quando o caso, o de exercer a mediunidade, aprendendo nesse exercício a humildade e a disciplina, e sendo instrumento dos Espíritos que por ele trarão suas comunicações.
O mandato mediúnico não acontece por acaso. Obedece planejamento prévio e, além do próprio médium, envolve os instrutores espirituais, todos eles coordenados pelo anjo da guarda do mesmo, seu Espírito protetor, que é sempre de elevada categoria moral. Assim, a função de escrever livros, de proporcionar materializações, de fazer ditados espontâneos, de pintar quadros e assim por diante, está limitada, circunscrita à missão, ao mandato mediúnico de que foi investido o médium.
Citemos um exemplo dos mais conhecidos, mas ainda não compreendido: o médium Chico Xavier e seu benfeitor espiritual, Emmanuel.
Quando Emmanuel, Espírito guia do médium apresentou-se, informou existir um compromisso de realização psicográfica de 150 livros, escritos por ele e por outros Espíritos, o que posteriormente foi aumentado.
A missão do médium e de seu guia espiritual encerra-se com a conclusão do planejado no mundo espiritual. Assim, não há necessidade de algum outro médium substituir Chico Xavier.
Ele e Emmanuel já concluíram sua missão e que missão!
De 1938, data da publicação de seu primeiro livro, até 1995, ano em que foi publicado seu último livro, o Espírito Emmanuel escreveu, através do médium Chico Xavier, a fantástica soma de 105 livros espíritas, sem considerarmos os livros escritos em parceria com outros espíritos. O conteúdo dessas obras ainda não foi devidamente analisado e absorvido pelos que estudam e vivenciam o Espiritismo. Então, perguntamos: depois do cumprimento de tão vasta missão, por que Emmanuel haveria de necessitar socorrer-se de outro médium para continuar a escrever? Informemos, também, que Chico Xavier, até dezembro de 1996, psicografou o total de 402 livros, e, se fosse considerado o autor dos mesmos, teria de receber as honras de todas as academias literárias, pois estaríamos à frente do maior gênio literário de todos os tempos.
Estamos tratando deste assunto por vermos surgir, vez por outra, médiuns anunciando serem continuadores de Chico Xavier, recebendo mensagens psicografadas de pretensos Emmanuel, André Luiz, Bezerra de Menezes e outros, como se esses Espíritos nada mais tivessem de fazer a não ser procurar médiuns e escrever, escrever, escrever…
E como escrevem aberrações! E como cometem erros doutrinários! E como descaracterizam seu estilo literário!
Uma análise isenta logo os desmascara e o médium desaparece para ser substituído, algum tempo depois, por outro, que também tropeçará na ilusão da fascinação e será esquecido. Mas os argutos observadores do potencial que representa o mercado editorial espírita e espiritualista não perdem tempo, e publicam esses livros com o intuito do lucro, sem nenhum interesse doutrinário, fazendo mal à causa do Espiritismo, desviando consciências e envaidecendo o médium e os que se acercam dele.
É muito triste ver esses livros circulando nas livrarias dos Centros Espíritas!
Para cada médium, um mandato mediúnico, sempre para auxiliar o próximo, fazer progredir a humanidade, onde mais importante é tornar-se o médium fiel cumpridor de sua missão, depositário digno da confiança divina, seja na obscuridade do anonimato, seja na luz do reconhecimento público.
O médium que vara os anos trabalhando anonimamente numa reunião mediúnica do Centro Espírita é tão útil e importante quanto Chico Xavier e outros médiuns famosos, pois está diligentemente, sem nenhuma vaidade, servindo de instrumento aos Espíritos que necessitam receber orientação e àqueles Espíritos que mantém a chama acesa da fé e do amor dos companheiros voltados ao bem do próximo.
Mandato mediúnico cumprido é missão que não se transfere. Terminada a tarefa, ao médium reservam-se os méritos e outras atividades e aos Espíritos que o auxiliaram, novas tarefas.
A nós, os homens encarnados, cumpre estudar e aplicar - para nós próprios, primeiro - o rico conteúdo de escritos fornecidos pelos Espíritos e também os bons exemplos do médium.
Quanto a alguém substituir o médium para continuar uma missão que era só dele e dela ele se incumbiu exemplarmente, isso já é por conta da obsessão.

Site : Lirio Branco

02 junho 2006

Mensagem aos jovens - Emmanuel

Meu jovem amigo.
A mocidade cristã é a primavera bendita de luz anunciando o aperfeiçoamento da Terra.
Aceita, com ânimo firme, o roteiro que o Mestre Divino nos oferece.

Coração terno.
Consciência limpa.
Mente pura.
Sentimento nobre.
Conduta reta.
Atitude valorosa.
Disposição fraternal.

O coração aberto às sugestões do bem aclara a consciência, dilatando-lhe a grandeza.

A consciência sem mancha ilumina a mente, renovando-lhe as manifestações.

O sentimento enobrecido orienta a conduta, mantendo-a nos caminhos retos.

A conduta irrepreensível determina a atitude valorosa no desempenho do próprio dever e no trabalho edificante.

O gesto louvável conduz à fraternidade, em cujo clima conquistamos a compreensão, o progresso e o mérito.

Coração aberto à influência de Jesus para enriquecer a vida...

Disposição fraternal de servir, incessantemente às criaturas para que o amor reine, soberano...

Eis, meu amigo, em suma, o roteiro com que a mocidade cristã colaborará no aprimoramento do mundo.

Psicografia de Francisco Cândido Xavier

01 junho 2006

Deus te Abençoe - Emmanuel

Deus te abençoe o gesto de carinho,
Alma da caridade, branda e pura,
Pela migalha de ventura
Aos tristes do caminho.
Deus te abençoe a refeição sem nome
Que trazes, cada dia
Aos cansados viajadores da agonia
Que esmorecem de fome.
Deus te abençoe a roupa restaurada
Com que vestes, contente,
A penosa nudez de tanta gente
Que vagueia na estrada!...
Deus te abençoe a bolsa de esperança
Que abres, a sós, sem que ninguém te espreite,
Para a gôta de leite
Destinada à criança...
Deus te abençoe o pano do lençol,
Com que envolves em doce cobertura,
Os enfermos que choram de amargura,
À distância do sol.
Deus te abençoe, por onde fores,
E te conserve as luzes,
Em que extingues, removes ou reduzes,
Os problemas, as lágrimas e as dores!
Deus te abençoe a fala humilde e santa,
Com que aplacas a ira
Da calúnia, do escárnio, da mentira,
Na frase que perdoa e que levanta.
Caridade, que o teu nome ressoe,
Pleno de amor profundo,
E por tudo o que fazes neste mundo,
Deus te guarde e abençoe!

(Mensagem Psicografada por Chico Xavier)